A resseguradora IRB Brasil (IRBR3) segue alternando bons e maus momentos. Se em abril, ela se viu no alto da gangorra, a situação mudou em maio. A empresa registrou prejuízo líquido de R$ 10,4 milhões em maio deste ano, contra um lucro líquido de R$ 6 milhões em no mês anterior.

O balanço do IRB foi divulgado na última sexta-feira (21), após o fechamento dos mercados. Em 2023, a empresa ainda acumula lucro líquido de R$ 4,2 milhões, frente a um prejuízo de R$ 285,3 milhões no mesmo período do ano passado. 

O golpe duro nas ações também veio de um relatório do BTG Pactual, publicado na manhã desta segunda-feira (24). Apesar de destacar que o pior para o IRB já passou, o banco rebaixou a recomendação da resseguradora de neutro para venda. 

Com isso, os papéis IRBR3 chegaram a recuar mais de 14% nas primeiras horas do pregão desta segunda-feira (24), sendo negociados a R$ 41,89 por volta das 11h30 desta manhã.

  • Está preparado para os próximos 6 meses do ano? Os repórteres do Seu Dinheiro entrevistaram dezenas de profissionais do mercado financeiro para saber quais são os investimentos mais indicados para o 2º semestre. Veja AQUI o que eles falaram. 

IRB e um mês volátil: destaques do balanço

O BTG avalia que o agronegócio teve um peso importante para o resultado mensal do IRB. Isso porque o cenário de seguros no setor melhorou nos últimos meses — ano passado, esse segmento garantiu um substancial prejuízo para a resseguradora.

Entretanto, o índice de sinistralidade teve alta em maio em relação a abril: o indicador foi de 76,5% para 82,5%, o mais alto dos últimos meses — contra 131,3% no mesmo período do ano anterior.

“Estamos cada vez mais confiantes em uma recuperação… Mas o valuation cresceu muito rápido!”, escrevem os analistas.

“Nosso downgrade não significa que não esperamos uma recuperação contínua, mas também não será uma linha reta, e achamos que a avaliação disparou mais rápido do que os fundamentos justificam”.

O relatório mostra as expectativas com a relação preço/lucro (P/E) do IRB: o resultado foi negativo em 0,2 e 0,1 em dezembro de 2021 e no mesmo mês de 2022, respectivamente.

As expectativas para o mesmo período de 2023 são de uma relação positiva de 13,2. 

VEJA TAMBÉM — Nome no Serasa: sofri um golpe e agora estou negativado! O que fazer?

Bom demais para ser verdade?

Outro fator que corroborou com a avaliação negativa foi a grande expectativa com o futuro da empresa após a resseguradora apresentar um resultado melhor do que o esperado em abril e vencer uma disputa judicial com o Departamento de Justiça dos EUA — garantindo um pagamento de multa de apenas US$ 5 milhões a título de compensação.

A avaliação negativa não atingiu, porém, a expectativa com o preço-alvo das ações. Para o BTG, os papéis devem permanecer na faixa de R$ 40 pelos próximos meses — o que representa um recuo de quase 20% em relação às cotações do fechamento da última sexta-feira (21).

Citi e JP Morgan também reagem ao balanço do IRB

Para os analistas do Citi, os números fracos trazem de volta as preocupações com o capital da empresa.

O banco também tem recomendação de venda para os papéis IRBR3, com preço-alvo de R$ 25, ou um valor 49% menor frente ao fechamento de sexta.

Fechando as recomendações de venda, o JP Morgan acredita que o prejuízo de maio representa uma piora frente ao primeiro trimestre após o ajuste com o acordo nos EUA.

Isso porque o índice combinado do mês — divisão entre sinistros retidos e o prêmio de ganhos — ficou em 115%, acima dos 107,5% registrados em abril, o que representa uma piora do indicador.



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *